Quarta-feira, 25 de Setembro de 2013

Depois que estudamos hoje, pedi a Lili para tocar um CD de músicas italianas que ela, e eu, gostamos muito. A faixa que combinava com o que estudamos hoje é Io Che Amo Solo Te, com Sérgio Endrigo.

No livro A Prática do Amor a Jesus Cristo, S. Afonso de Ligório ensina que o amor a Jesus não nos deixa invejar: “A inveja é uma cobiça que nos entristece por olhar os bens do mundo possuídos pelos outros”. Então ele cita um trecho do livro Cântico dos Cânticos (4:9).

Antes, uma palavra. Este livro foi escrito 1 mil anos a.C e numa língua que sofreu várias modificações. Com o passar dos séculos foi traduzido incontáveis vezes e estas versões variam. São diferentes por causa do conhecimento que se tinha de uma palavra em uma época e que depois se passou a entender diversamente. Assim, na Bíblia que temos em casa essa passagem reza: “Tu me fazes delirar, minha irmã, minha esposa, tu me fazes delirar com um só dos teus olhares”. Mas na Bíblia que o santo usava, em 1768, o texto dizia: “Feristes meu coração, minha querida esposa, feristes o meu coração por olhares somente para mim”. Então, ele comenta: “Os homens olham para muitas coisas com o fim de: agradar os outros, conquistar honras, adquirir riquezas e contentar a si mesmos. Mas os santos tem olhos só para Deus. Como diz o Salmo (72:25): ‘Afora vós, o que há para mim’”.

Isto é o verdadeiro monoteísmo, quer dizer, a real adoração: só a Deus e nada mais adoramos.

É o que diz a canção italiana da Lili:

C'è gente che ama mille cose

E si perde per le strade del mondo

Io che amo solo te

Você pode escutá-la agora http://www.youtube.com/watch?v=qHp8tObcI_U



publicado por joseadal às 04:04
mais sobre mim
Setembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
12
14

15
16
18
19
20
21

22
23

30


pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

blogs SAPO