Quarta-feira, 06 de Abril de 2011

Eu nunca ouvira falar em PRODO, mas tinha experiência do que fosse.

Em certo domingo, pela manhã, dia ensolarado, portas e janelas abertas, venho da cozinha para sala ligar o som... cadê o som!? Corro para rua, pergunto a um vizinho que lia jornal na varanda, nada viu, interrogo um passante que vem do início da rua e outro que desceu do morro no final dela, nada. Ninguém viu alguém com um som nos ombros ou carregando nos braços. Foi o quê? Foi um PRODO.

Aqui no livro de ficção científica de Adams Douglas, A Vida, o Universo e o Demais, está explicado de uma maneira meio gaiata. 

"El campo del Problema de Otro, PRODO, funciona. La razón de ello es que se basea en la predisposición natural de la gente a no ver nada que no quiera ver, que no espere o que no pueda explicarse. Si hubiese pintado una montaña de rosa y erigido en ella un sencillo y barato campo de PRODO, la gente habría pasado de largo por la montaña, la habría rodeado e incluso escalado sin darse cuenta ni por un momento de que estaba allí".

Então não diga que é impossível ter acontecido isto ou existir aquilo. Nem eu nem você consegue se dar conta de tudo que acontece diante de nossos narizes.

Se tiver tempo pra ler acompanhe este diálogo maluco entre dois amigos, Arthur e Ford:

"Ford insistió en saltar de un lado para otro, meneando la cabeza.

-Se te ha ocurrido algo, ¿verdad? preguntó Arthur.

-Creo - contestó Ford - que hay un PRODO por ahí.

-¿Un qué?

-Un PRODO.

-¿Y qué es eso?

-Un Problema de Otro -explicó Ford.

-Ah, bien -dijo Arthur, tranquilizándose.

No tenía idea de qué se trataba.

-¡Allí! -exclamó Ford.

-¿Qué?

-¿No ves - dijo Ford en tono paciente- el PRODO?

-Creí que habías dicho que era un problema de otro.

-Eso es. Y quiero saber si lo ves - insistió Ford.

-¿Lo ves tú?

-Sí. Un PRODO - explicó - es algo que no podemos ver, que no distinguimos o que nuestra mente no nos deja observar porque creemos que es un problema de otro. Eso es lo que significa PRODO. Problema de Otro. El cerebro se limita a perfilarlo, es como un punto ciego.

-Ya lo veo - anunció Arthur.

Já não conseguimos assimilar tudo que vemos, coisas conhecidas ou que nos dizem respeito, quanto mais algo que é de competência dos outros ou que ainda não é do nosso conhecimento!

É por isto que o mestre Jesus ensinou: "Se alguém achegar-se a ti e pedir tua camisa, pergunte se também quer a calça". Loucura do mestre? Não. É um PRODO, o problema que é de outra pessoa e que vem cair em teus braços. Jesus ensinou que quando nos damos conta de um PRODO ele passa a ser um problema nosso. Não pode ser desconsiderado.

Viu, me dei conta de tanta coisa lendo um livro maluco de ficção científica. Não deixe de ler, de se dar conta.



publicado por joseadal às 00:06
mais sobre mim
Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
15
16

17
19
23

24
26
27
29
30


pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

blogs SAPO