Quarta-feira, 27 de Julho de 2011

Quem tem um pouco de cultura geral conhece a descrição bíblica da criação do Mundo.

No princípio Deus criou o céu e a terra. A terra, porém, estava informe e vazia, e as trevas cobriam a face do abismo, e o Espírito de Deus movia-se sobre as águas. E Deus disse: Exista a luz. E a luz existiu. E Deus viu que a luz era boa; e separou a luz das trevas. E chamou à luz dia, e às trevas noite. E fez-se tarde e manhã: o primeiro dia.

O livro Dança do Universo, do cientista brasileiro Marcelo Gleiser, cita outras.

"Os mitos que assumem a existência de um início são, sem dúvida, os mais comuns, em especial aqueles que invocam um Criador. Para o mundo ocidental, o mito de criação mais conhecido é encontrado no Gênesis (transcrito c. 400 a. C). No poema Metamorfoses, do romano Ovídio (43 a. C.-18 d. C), escrito por volta do ano 8 d. C, acrescenta que a matéria se divide em 4 elementos:

Antes de o oceano existir, ou a terra, ou o firmamento,

A Natureza era toda igual, sem forma. Caos era chamada,

Com os átomos discordantes

Guerreando em total confusão.

Não existia o Sol para iluminar a Terra;

Não existia a Lua, com seus crescentes que lentamente se preenchem;

Nenhuma terra equilibrava-se no ar.

Nenhum mar quebrava na areia de longínquas praias. 

Ar sem luz, substância em constante mudança.

Até que Deus, ou a Natureza generosa,

Resolveu todas as disputas e as coisas evoluíram, achando seus lugares a partir

Da cega confusão inicial.

O fogo e o ar, esses elementos etéreos,

Ocuparam seus lugares no firmamento,

enquanto a terra, afundou; e a água

se colocou em torno, dela.

Esse Deus, que do Caos

Trouxe ordem ao Universo, dando-lhe

Divisão, subdivisão, quem quer que ele seja,

Ele moldou a terra na forma de um grande globo,

sob a ação dos ventos uivantes.

Outro belo exemplo de um criador que deu origem a tudo vem dos índios Hopi, dos Estados Unidos. Nele existem três personagens: Taiowa (o Criador), Sotuknang (um Ser) e Tokpela (o espaço infinito, representando o Não-Ser).

Antes existia apenas o Criador, Taiowa. Todo o resto era espaço infinito. Não existia um começo ou um fim, o tempo não existia, tampouco formas materiais ou vida. Simplesmente um vazio enorme, mas o tempo e formas de vida existiam na mente de Taiowa, o Criador. Então Ele, o infinito, concebeu o finito. Primeiro Ele criou Sotuknang, dizendo-lhe: "Eu o criei, agora vá adiante e perfile os vários universos em ordem, para que eles possam trabalhar juntos, de acordo com meu plano". Sotuknang seguiu as instruções de Taiowa; do espaço infinito ele conjurou o que se manifestaria como substância sólida, e começou a moldar as formas concretas do mundo.

Já em outros mitos o Universo não foi criado em um momento específico, mas existiu e existirá para sempre. Por exemplo, na religião hindu, na qual o tempo tem uma natureza circular, a Criação é repetida eternamente, num ciclo de criação e destruição simbolizado pela dança rítmica do deus Xiva:

Na noite do Brama (a essência de todas as coisas, a realidade absoluta, infinita e incompreensível), a Natureza é inerte até que o deus Xiva se alça de seu sono e, através de sua dança, envia ondas pulsando com o som do despertar, e a matéria também dança, aparecendo gloriosamente à sua volta. Dançando, Ele sustenta seus infinitos fenômenos, e, quando o tempo se esgota, ainda dançando, Ele destrói todas as formas e nomes por meio do fogo e se põe de novo a descansar''

A dança de Xiva simboliza que tudo é cíclico no Universo, incluindo sua própria evolução".

Um conceito é verdadeiro e os outros são falso, ou se complementam? 



publicado por joseadal às 22:50
mais sobre mim
Julho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
16

17
18
19
20
22

24
25
26
29
30

31


pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

blogs SAPO