Sábado, 28 de Janeiro de 2012

Esta máxima simples expõe o fundamental: nascemos com o direito inalienável de escolher nosso próprio destino. Podemos e precisamos de orientadores, mas nunca de quem decida a vida que teremos. Mas é raro quem tenha desfrutado esta liberdade desde que nasceu. No livro A Insustentável Leveza do Ser a heroína pensa sua vida e constata:
 "Quando vivia com minha mãe, morava num campo de concentração. Este é um lugar onde as pessoas vivem umas sobre as outras dia e noite. É a negação total da vida privada"
 Quando Milan Kundera escreveu este romance, 1883, estas prisões subumanas já não estavam na moda, mas o enredo se passa na Tchecoslováquia de 1968. Debaixo do tacão repressivo da União Soviética aquele país ainda usava destes campos de prisioneiros para tirar de circulação pessoas que criticavam o governo. Nesses governos ditatoriais homens cultos perdiam o direito de exercer a profissão para a qual haviam se preparado.

"No pequeno hotel onde trabalhava, o responsável pela administração foi professor de física na universidade e o atendente da recepção era um exembaixador".
 Então quando um governo ou uma religião tiram a liberdade de pensamento de um cidadão não é isto também uma lavagem cerebral? Um tratamento violento como num campo de concentração? Não deixe lhe acontecer isso.

 



publicado por joseadal às 18:19
Aqui em nosso país, o campo de concentração é a própria sociedade. Não há interesse dos poderosos em formar cidadãos. Nossos governantes não querem pessoas de conhecimento; de cultura; de formação moral e cívica. Não interessa ter pessoas de conhecimento na sociedade. Estas pessoas incomodam a todos aqueles que querem exercer o poder custe o que custar. E isso não se dá só entre os governantes não. Conheci uma senhora que foi demitida de uma empresa de Volta Redonda porque ela incomodou muito os patrões com suas reivindicações. Ela conhece seus direitos e os cobrou. Resultado: demissão. Quando estive com ela a primeira coisa que falei foi que ela incomodava o patrão porque tinha conhecimento demais. É assim que a coisa funciona em nosso país. Ninguém pode conhecer seus direitos e exercê-los.
Mas, não podemos nos intimidar com isso e devemos buscar sempre formar cidadãos de verdade entre nós.
vanice ferraz a 28 de Janeiro de 2012 às 20:37

mais sobre mim
Janeiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
12

15
16
17
18
20

22
23
24
25
27

29
30
31


pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

blogs SAPO