Terça-feira, 27 de Março de 2012

Não li o livro A Guerra Secreta da professora Nancy Sherman, mas li um comentário. A guerra da qual ela fala é a que está “dentro dos corações e mentes dos soldados dos EUA”. Ela diz que “a incidência de distúrbios pós-traumáticos entre os veteranos da invasão do Iraque e do Afeganistão é de 20% enquanto a da sociedade oscila entre 7 e 8%. A resistência dos soldados em procurar ajuda é um entrave à descoberta precoce de perturbações que resultam em excesso de agressividade”.

Mas no livro O Mapa da Alma, conforme Jung descobriu e ensinou, nos dá uma compreensão do acontece em tantos casos de violência absurda. Falando do vasto Cosmo que é a mente ele disse: “A psique existe no espaço entre o corpo e a alma, entre matéria e espírito. Na proximidade da consciência [do corpo] acham-se os instintos e na outra extremidade predominam os arquétipos. Há uma espécie de vaivém entre a partie inférieure e a supérieure entre o polo instintivo e o espiritual, dos arquétipos. A consciência tomada de pânico luta contra constante ameaça de ser tragada pelo primitivismo dos instintos e a possessão completa por forças espirituais”.

Nós, o ser encarnado, com sua pequena biblioteca de informações, para se manter equilibrado, evitando os extremos, precisa estar muito focado, vigilante e livre de drogas e álcool que enfraquecem as defesas. Carl Jung disse mais: “Quando bem coordenado, o consciente se aproveita dos arquétipos que fornecem forma e significado aos instintos brutos, e esses fornecem a energia que ajuda a realizar às imagens e anseios, a meta espiritual para a qual tende a natureza inteira do homem. É o mar em direção ao qual todos os rios percorrem, por acidentados caminhos, para alcançar. É o prêmio do herói que vence a luta contra o dragão”. [na foto o amigo Gláucio não sabe se pedala ou se pesca, dúvida cruel]

E neste amplo campo de batalha nosso pequeno consciente ainda tem de se haver com os complexos, emaranhados de situações com culpas e talentos que foram de outras personalidades, que mal controlados também podem tomar o leme e nos afastar do rumo da feliz eternidade. A violência que toda hora vemos no noticiário foi muito comum nos tempos bárbaros dos humanos que viviam mais pelos instintos. Agora que avançamos tanto e que nosso consciente pode trabalhar com a parte mais elevada da psique, as drogas, a bebida e o estresse da busca por cada vez mais benefícios materiais tornam a trazer tanta gente a barbárie. Deus nos livre de todo mal.



publicado por joseadal às 22:08
mais sobre mim
Março 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
14
15
17

19
20
21

25
26
28
29


pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

blogs SAPO