Sábado, 12 de Fevereiro de 2011

"Grande parte das invenções humanas mais surpreendentes não possui um alguém que as imaginou, pois elas são fruto de progressivos ajustes e colaborações coletivas. É isso o que acontece no caso do Estado, a maior criação político-social do ser humano. Foi aperfeiçoado gradualmente ao longo de milênios e mudado aos poucos conforme a mutável instância militar, econômica e cultural".

Domenico Massi diz que as conquistas na formação do Estado podem ser percebidas pelas escavações de antigas cidades.

"Se a forma é representação plástica da função, da forma desses diversos vilarejos e das suas respectivas moradias deduz-se a função da comunidade".

Veja, por exemplo, um povoado pacífico que se formou há 7.000 anos. Chamava-se Sesklo, no que depois se tornou a Grécia. "Viveram ali, em 30 casas homogêneas, um máximo de 300 pessoas, agricultores, com mais ou menos a mesma condição de riqueza e prestígio". Este aglomerado foi formado por um homem que conseguiu manter próximo de si parentes e filhos e seus descendentes. Era uma cidade com um só muro, pacífica e sem experiência de agressão externa.

Já a pequena Dimini parece ter sentido o amargo da invasão de vizinhos ou nômades violentos e se cercou de cinco muralhas.Ao centro ficava a administração da vila e os serviços de adoração. Os poucos humanos lutavam para dominar o planeta.

Mas em cada uma dessas comunidades o ser humano experimentava as condições de relacionamentos muito próximos, semelhante a um BBB. Desse aprendizado tenso foram sem criadas as leis, as profissões e as lideranças políticas e religiosas. E nelas foram inventados cada obejto que facilitasse a vida. Dali se desenveram os complexos Estados que administram a existência da humanidade.



publicado por joseadal às 11:00
mais sobre mim
Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

13
14
19

20
22

28


pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

blogs SAPO