Terça-feira, 24 de Abril de 2012

Tanto cada pessoa quanto o Cosmo (no sentido de toda humanidade e suas realizações)
sentem um impulso para progredir, evoluir. Jung em sua epistemologia, ordenação
dos estudos da psicologia, apresentou sete etapas da consciência (o que se percebe) e definiu bem as primeiras cinco. 

O livro O Mapa da Alma ensina que o ser humano médio precisa caminhar a par com o mundo, o Cosmo. Aqueles
que dentre nós atingiram um estágio que a humanidade ainda não havia alcançado
foram gênios ou santos, eram iluminados. Os degraus a serem galgados integram o
corpo e a mente, o consciente e o inconsciente, o ego e a psique. Vamos compreendê-los?

1º etapa - "Existe uma identificação do individuo e o seu mundo circundante.
A sua consciência e os objetos com o qual convive são misteriosamente a mesma
coisa”.

No primeiro patamar, como um neném, a pessoa não tem educação nem cultura. Não
compreende nada, tudo vê a sua volta, mas não sabe o que são. Como, antes da
história escrita, vimos e aprendemos a fazer o fogo, mas sem entender o que
era. É a consciência mais básica. O próprio planeta era ainda muito bruto e os
humanos não podiam ser mais do que isso.

2º etapa - "A projeção passa a ser mais localizada concentrando-se em objetos
específicos ao invés de no mundo todo. Alguns são agora mais interessantes do
que outros e são escolhidos e distinguidos. Os pais são, nesta fase, os
principais portadores de projeção dos filhos. Na adolescência figuras que se
destacam nos esportes, na música e na marginalidade ganham o foco e se tornam o
exemplo do jovem. Os adultos nesta etapa fixam em pessoas e instituições que prometem
vantagens e desenvolvimento financeiro e intelectual”.  

Quem tem este desenvolvimento psíquico junta ao que sabe o conhecimento acumulado
por seus pais e mestres. Mas ainda não descobriu que é corpo e espírito. Era
assim a espécie humana quando conheceu a arte da escrita. Os deuses
confundiam-se com os astros do céu e os fenômenos geológicos.

3º etapa - "As pessoas saem de trás de suas projeções e tornam-se desidealizadas.
A consciência projeta-se em símbolos e ideologias, objetos abstratos.
Onipotência deixa de ser atribuída aos homens e volta-se para Deus, Filosofia e
Teologia. Não precisa temer os inimigos e forças maléficas porque Deus é quem
está no controle”.    

Chegando a esta fase, como um adolescente aborrecente, o sujeito descobre seu ego,
"eu sou", e resiste aos mestres e aos pais, mas segue líderes que
prometem mudanças. Corresponde ao momento da humanidade em que as gentes
dividiram-se em povos e nações e desenvolveram novas línguas e culturas.

Onde está minha compreensão da vida? Onde está a sua amigo? Mas existe etapas mais elevadas.



publicado por joseadal às 01:02
mais sobre mim
Abril 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
14

15
16
17
18
19
21

22
23
25
26
27



pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

blogs SAPO