Sexta-feira, 10 de Agosto de 2012

Descobrir uma coisa nos dá uma satisfação enorme. Hoje tive este prazer.

Estou lendo um livro com declarações de João Paulo II a um jornalista amigo seu. A obra começa assim: “Naquele dia de outubro em que apareceu pela primeira vez na sacada do palácio de São Pedro com um grande báculo em ambas as mãos como um grande crucifixo, suas primeiras palavras num grito que ressoou pela praça sobre a multidão, foram, ‘Non abbiate paura!’ (Não tenham Medo!), no mesmo instante todos compreenderam que alguma coisa havia sido feita no Céu”.

Já estou pelo meio deste compêndio que tem me ensinado muito, mas até então não foi explicado porque ele começou seu pontificado com esta frase. É verdade que esta oração é a que mais aparece na Bíblia, 365 vezes, com pequenas variações. Mas seria isso? Hoje, lendo a Bíblia com Lili, chegamos a um trecho em que o profeta Jeremias ouve uma promessa de Deus. As palavras entraram por nossos olhos e ouvidos... e então ecoaram, juntaram-se, ao que João Paulo II falou e não entendia. Deus disse ao profeta Jeremias (23:4): ”E levantarei sobre minhas ovelhas um bom pastor que as apascente, e elas nunca mais terão medo”. Perceberam? (azáleias em meio ao nevoeiro, no alto da Bocaina)

Quando alguém é empossado em um cargo de autoridade ele faz uma declaração de compromisso. João Paulo poderia, como qualquer outro, dizer: Vou ser um bom pastor para vocês!, mas profundo conhecedor da Bíblia ele não usou palavras suas para fazer uma promessa. Não disse orgulhosamente: Eu sou um bom pastor! Não, usando as próprias palavras ditas por Deus ele gritou: Não tenham medo!, mas estava dizendo: Deus me preparou pela vida para ser o bom pastor que todos os católicos, todos os cristão, todos os homens precisam.

O maior medo que ovelhas têm não é do lobo que ronda o rebanho, mas seu pior temor é de que seu pastor, seu guia, falhe com elas. Ao invés de leva-las para um lugar com água as abandone num lugar seco. Não as levando para um pasto verde, mas as largando num deserto pedregoso é seu maior pavor. João Paulo chegou ao posto de papa por meio de uma eleição cheia de política e interesses, porém o dedo de Deus foi mais forte que todos os interesses egoístas dos homens e acabou sendo escolhido o homem ideal. Num momento histórico em que os líderes mundiais traem, roubam e enganam o povo já perdido, João Paulo é escolhido, para por 25 anos, nos guiar retamente no meio de tanta sujeira. Em todos aqueles anos pudemos ter tido temor de qualquer coisa, menos medo dele nos fazer mal.

Não deixe de ler, estudar, pensar, então coisas novas surgirão, lindas.   



publicado por joseadal às 02:11
mais sobre mim
Agosto 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

12
13
15
17

19
20
21
22
24
25

27
29


pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

blogs SAPO