Quinta-feira, 04 de Outubro de 2012

Lutando contra a falta de tempo é 'ruim' de alguém parar para refletir no que São Paulo disse aos cristãos da cidade de Éfeso: “Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios, remindo o tempo; porquanto os dias são maus”. A maioria das interpretações da palavra remir é “aproveitar bem”, mas Dom Cipriano Chagas, padre religioso, explica que ele falou de “diminuir o tempo”.

“O homem nasce na corrente do tempo e tem a capacidade de modifica-lo. Cada ato livre de sua parte altera alguma coisa no tempo. São Pedro diz que ‘devemos apressar a vinda do Senhor’. Isto porque temos um certo poder sobre o tempo, no sentido de que quanto mais santo formos, mais o tempo de acontecer a volta de Cristo se abrevia. O pecado e a vida longe de Deus faz com que Ele, na sua misericórdia, estenda o tempo para que mediante provações e sofrimentos e pela graça da conversão, possam voltar aqueles que dele se afastaram. Assim de certa maneira, o homem que vive em pecado dilata o tempo. Mas Nossa Senhora revelou que esta espera de Deus não durará indefinidamente e que depois da aparição de certo sinal não será mais possível converter-se”.  

É preciso um esforço firme para se vencer as tentações de fazer o que é mal ou participar de um ato de corrupção. Mas tendo este ponto de vista em mente ajuda: Se escolho o caminho errado quase estou obrigando o Criador de tudo a me dar mais tempo, mas se tomo a atitude correta Ele poderá abreviar o tempo para cumprir uma mudança fenomenal. Jesus lembrou (Mateus 24:22) que quem ficar perturbando o desenrolar do plano divino vai obrigar outros a passar por momentos difíceis. Mas Deus não vai atrasar seus planos por causa de uns neguinhos teimosos e que estão prejudicando quem está se esforçando. “Se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias”. Na vida difícil nos trens da SuperVia os que atrasam a viagem dos outros segurando aberta a porta do vagão são chamados de Empata Porta.

Acima disse que Dom Cipriano é um padre religioso – Uma redundância, Zé! – isto porque diferente do padre diocesano – o que se forma em seminário – o ‘religioso’ entra primeiro em uma Ordem e depois estuda teologia. Então o padre religioso é o cristão que além dos ensinamentos da Igreja e dos Evangelhos segue os ditames de sua congregação; no caso, Dom Cipriano é beneditino.  



publicado por joseadal às 02:56
mais sobre mim
Outubro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
12

18
20

22
23
25
26

28
29
30


pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

blogs SAPO