Sábado, 13 de Outubro de 2012

Acontece, em dado momento da vida, nos envolvermos num assunto mesmo sem procurar por isso. Assim, tem-me acontecido de, repetidamente, ler e ver informações ligadas a escatologia. A Wikipédia assim define esta palavra: “é uma parte da teologia e filosofia que trata dos últimos eventos na história do mundo ou do destino final do gênero humano, comumente denominado como fim do mundo”.

No livro Aruanda (que me foi emprestado por minha homeopata) um ser espiritual, diz: “Ao conhecimento da natureza oculta, ervas e fluidos, juntou-se a compreensão da influência dos astros. Os magos anteviram cataclismos e eventos naturais; deu-se início a era dos profetas, adivinhos e prognosticadores que já previam o fim do mundo. Estas informações foram levadas para outras terras e nações”.  

Assim, foi que no livreto Hermes, que transmite os ensinamentos de uma classe sacerdotal do Egito antigo, encontrei esta referência oa Fim: “Em outro tempo, os homens não olharão o mundo como objeto de admiração e respeito. Então, o Todo estará em perigo de perecer. Os homens não amarão este conjunto do universo, obra incomparável de Deus, construção gloriosa, criação toda ela boa, feita de infinita diversidade de formas, instrumento da Sua vontade que nos prodigaliza seus favores. As trevas serão preferidas a luz e ninguém mais levantará seus olhos para os céus em agradecimento. O homem piedoso será olhado como um louco e o pior criminoso como uma pessoa de bem. A crença na alma imortal, ou que haverá de obter a imortalidade, será apenas motivo de riso. Creia-me será um crime capital estar dedicado à religião do espírito”.

Esse modo materialista de viver provocará o grande Fim: “A Terra perderá seu equilíbrio, o mar deixará de ser navegável, os astros deterão sua marcha pelo céu, os frutos da terra apodrecerão, o solo deixará de ser fértil e o próprio ar se aquecerá. Então, o Senhor Pai, o Deus primeiro em potência e demiurgo do Deus uno, depois de vencer a resistência de sua vontade que é a bondade divina, aniquilará toda malícia, destruindo-a pelo fogo e através de enfermidades”.   (este belo pedaço do mundo com sua vegetação enfezada e linda é a serra do Caparaó, subida do Pido da Bandeira)

Esta revelação é repetida de muitas formas por profetas judeus, adivinhos hindus e chineses e pajés de diversos lugares. Mas, como esses, Hermes também preconiza uma mudança boa: “Então Deus conduzirá o mundo à sua beleza primeva para que possa ser reverenciado como o restaurador de todas as coisas e seja glorificado pelos homens que viverem. Será a renovação santa e soleníssima da Natureza”. Assim seja!  



publicado por joseadal às 14:04
mais sobre mim
Outubro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
12

18
20

22
23
25
26

28
29
30


pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

blogs SAPO