Sábado, 06 de Abril de 2013

Hoje aprendi algo maravilhoso, deixe-me passar para você.

Li no livro O Sistema Cristão e o Vazio da Existência, de Artur Schopenhauer (p.35): “O verdadeiro e profundo significado da vida perdeu-se para os gregos. Vivemos como crianças crescidas até que o cristianismo chegou e nos mostrou o lado sagrado da existência”.

Foi o que aprendi hoje, estudando com Lili, o sagrado em certas situações no Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem Maria, um livro escrito em 1700.

Desde jovem leio a Bíblia e essas palavras eram uma incógnita para mim (João 2:3-4): “E, faltando vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Não tem vinho. Disse-lhe Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada minha hora.” Nem nos momentos em que "dona" Idalina me irritava muito nunca falei com ela assim. Os que não conhecem o sagrado acham que Jesus falou assim porque ela não merecia o respeito dEle, muito menos o nosso. Isso é não enxergar nada, é ainda ser criança.

No Tratado, São Luis Maria Grignion de Montfort fala para quem já é adulto e pode entender direito (p.20). “Maria é a mãe admirável e o Filho quis humilhá-la. Para este fim tratava-a como mulher, como a uma estranha, embora no seu coração a admirasse mais que todos os seres”. Como é isso?

Não se espante, Cristo também estava passando pelo mesmo aprendizado (Filipenses 2:5-8): “De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens e achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz”. Eu compreendi e você? A humildade é a chave para a glorificação. Assim como um homem tratado como criminoso neste planeta sentou-se a direita do Criador de tudo, a apagada mãe de Jesus tornou-se aquela profetizada no Salmo 44:10,11,17 :” Ouve, filha, e olha, e inclina os teus ouvidos; esquece-te do teu povo e da casa do teu pai. Então o rei se afeiçoará da tua formosura, pois ele é teu Senhor; adora-o. Farei lembrado o teu nome de geração em geração; por isso os povos te louvarão eternamente”.

(na subida da serra da Bocaina os ciclistas tiram galhos que poderiam provocar acidentes)

Você e eu somos poeira, mas isso podemos entender se não formos mais crianças: há mistérios insondáveis e este não dá para ignorar, temos de louvá-La eternamente.



publicado por joseadal às 02:05
mais sobre mim
Abril 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12

14
15
17
18
19
20

24
25
27

28
30


pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

blogs SAPO