Terça-feira, 16 de Abril de 2013

Comentando uma postagem recente, meu sobrinho mais velho lembrou-me que o Espírito Santo nos ajuda a encontrar a verdade nas entrelinhas da Bíblia. 

Estou lendo, por sugestão de João Paulo II, um pequeno livro escrito no ano 1700. O papa me disse dele: “A leitura desse livro marcou na minha vida uma transformação decisiva. Digo transformação, ainda que se tratasse de um longo caminho interior. Caiu em minhas mãos este tratado singular, um desses livros que não basta ‘haver lido’. Recordo haver levado comigo muito tempo quando ainda trabalhava numa fábrica. Relia constantemente certas páginas”. É o que está acontecendo comigo, ao ler Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem Maria.

“Disse-lhe, então, o anjo: Maria, não temas, porque achaste graça diante de Deus”. (Lucas 1:30)

Estas palavras são demais conhecidas, mas nunca vi nelas o que São Luiz Maria Grignion de Montfort percebeu e me chamou a atenção:

“Deus Pai juntou todas as graças e chamou-as Maria. Este grande Deus encerrou tudo o que tem de mais belo, resplandecente, raro e precioso, seu Único Filho, em Maria”.

Ele então diz que essas palavras dos Salmos descrevem a atração que a pureza dessa jovem judia causou em Deus (45:10-11): “Ouve, filha, e olha, e inclina os teus ouvidos; esquece-te do teu povo e da casa do teu pai. Então o rei se afeiçoará da tua formosura, pois ele é teu Senhor; adora-o”.

Luiz Maria declara também que o enigmático Cântico dos Cânticos é uma elegia àquela virgem (1:3): “Suave é o aroma dos teus unguentos; como um perfume derramado é o teu nome; por isso as virgens te amam”. E diz com grande franqueza: “Tendo encontrado nessa alma tudo de belo, o Espírito Santo entra plenamente nela, comunica-se a ela abundantemente como a uma fiel e indissolúvel esposa”.

  

Fica um pouco melindrado com estas palavras? Mas as do médico Lucas são ainda mais incisivas (Lucas 1:35): “E, respondendo o anjo, disse-lhe: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; por isso também o Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus”.

Neste tempo avançado da raça humana o transcendental é desprezado, mas existe o fabuloso, o imaterial e o divino. Você não vê? 



publicado por joseadal às 23:24
mais sobre mim
Abril 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12

14
15
17
18
19
20

24
25
27

28
30


pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

blogs SAPO