Segunda-feira, 07 de Março de 2011

O que significa viver na pós-modernidade? Difícil definir até que li como viviam nos tempos imperiais colonialistas. No livro O Mundo que eu Vi, de Stefan Zweig diz: "Uma fórmula para definir aquele tempo que precedeu a 1º Guerra Mundial é: foi a idade de ouro da segurança. Tudo parecia duradouro. A nossa moeda era uma peça de ouro, todos sabiam quanto tinham. Sabíamos o que era permitido e o que era proibido. Todas as famílias tinham um orçamento preciso, não havia inflação e sabiam quanto iam gastar com o aluguel e a alimentação no ano seguinte. Tudo no vasto império parecia sólido e imutável".

O modernismo trouxe a relatividade do certo e errado, a mudança continuada e a insegurança de dois terços do século 20.

A pós-modernidade misturou a novidade galopante com a falsa impressão de que tudo está assegurado e sob controle. A crise financeira de 1929 fez os investidores perderem milhões de libras, muitos se suicidarem e a normalidade só voltou depois de terminar a 2º Grande Guerra, 18 anos depois. Ainda era a modernidade e sua insegurança. Mas a crise econômica de 2008 fez os investidores perderem trilhões de dolares e três anos depois está quase tudo correndo normal. É muito para as cabeças antigas, os jovens resolvem isto melhor. Mas como é a mentalidade da mocidade do pós-modernismo? Eu digo para meus filhos o tempo todo: muito cuidado, não se individem, se não o trabalho vai tomar todo se tempo de vida; não entrem nessa correria.  Mas eles não têm como evitar.

 

O que virá depois? Será bom o mal? Só sei que o ser humano vai dar um jeito de se adaptar e sobreviver.



publicado por joseadal às 14:03
mais sobre mim
Março 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10

13
14
18
19

20
21
23
25
26

28
30


pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

blogs SAPO