Quarta-feira, 07 de Maio de 2014

"Existe um projeto eterno na mente de Deus. Deus quer realizar tudo racionalmente, de acordo com a tal ideia que formulou. A mente de Deus tem ideias sobre todo tipo de criatura possível de existir neste plano. Por isso, nesta concepção do que significa a vontade racional, Deus estará agindo sempre racionalmente, não importa o que ele cria. Para agir irracionalmente significaria agir cegamente e Deus só poderia fazer isso se não tivesse ideia do que estava criando. Um Deus Onisciente, necessariamente, não pode agir de outra maneira senão racionalmente” – John Duns Scotus, em Ordinatio.

Se a sua e a minha fé - ter certeza de que existe um outro universo onde está o Criador de todos os universos – forem tão miudinhas que nem se pode medir, falar da obra de Deus é jogar fora nosso tempo. Porém, se cremos um pouco – serve uma fé do tamanho de uma semente de pimenta – então dá para continuar. Scotus, sacerdote que viveu no final do século XIII, concentrado, abstraído de tudo e só, entendeu que num tempo muito longo no passado o Ser Eterno teve a ideia de criar um universo com 3 dimensões. Um lugar onde tudo tinha uma forma cúbica. Neste ambiente surgiriam no tempo certo seres à sua imagem, quer dizer com liberdade, consciência e vontade própria. Sua intenção é que tais criaturas o amem como ele os amou, mas mesmo com todo poder que tem Deus não quer forçar ninguém a amá-lo. Entretanto, Ele, o Grande Demiurgo não deixou nada entregue ao acaso, cada detalhe em trilhões de seres estava calculado. Mas sempre em dois sentidos: ser ou não ser; 0 ou 1.

“Quis que existisse, mas sempre de uma forma ordenada. E determinou um fim, o propósito final. Em seguida, escolheu os meios para chegar a esse fim. Tendo querido aquele fim, Deus teve que continuar a produzir os meios necessários para alcança-lo. Mas esta limitação – teve que – acaba por não ter grande significado, uma vez que há apenas um fim que Deus não pode deixar de querer, Ele Mesmo. Nada lhe ficou contingente; sejam anjos ou seres humanos, surgirem unicórnio [ainda não se conhecia os dinossauros] ou a restrição do Quinto Mandamento. Assim, Deus não está obrigado a querer qualquer coisa, a não ser ter seu projeto pronto”.

Quando eu ou você pensar em Deus, comecemos levando em conta o universo de 3 dimensões. Ele mede 13 bilhões e meio de anos/luz.

- Zé, isso é grande pra dedéu!

Sinto-me bem, de preferência com os olhos fechados, em pensar em Deus como tão grande que abarca tudo isso. Então é bom pensarmos como Scotus: “Deus não está obrigado a querer qualquer coisa”. Então, meu irmão, temer um tal Ser não é bobagem nenhuma. 



publicado por joseadal às 01:04
mais sobre mim
Maio 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

12
14
15
16
17

19
20
22
24

25
27
28
29
31


pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

blogs SAPO