Terça-feira, 11 de Março de 2014

“E viu-se um grande sinal no céu: uma mulher vestida do sol, tendo a lua debaixo dos seus pés, e uma coroa de doze estrelas sobre a sua cabeça”. Lili e eu estamos estudando o Apocalipse (12:1), com a ajuda do livro O Banquete do Cordeiro. Juntos já lemos este último livro da Bíblia duas vezes, mas foi preciso nos lembrarmos que essa palavra, Apocalipse, não quer dizer “Fim do Mundo”, não, ela significa “Revelação”.

- E revela o que, Zé?

Descreve um julgamento, um imenso julgamento que envolve quem vive e quem já viveu. O livro, explica (p.96): “Como rei divino, Jesus desempenha também os papéis de comandante supremo de um exército, de sumo sacerdote e de juiz-presidente. Assim, quando João evangelista vê o céu se abrir ele entra numa imensa sala de tribunal, mas que é também um templo, uma sala de trono e um enorme campo de batalha”.

Ontem, lemos a apresentação de duas mulheres no tribunal. A primeira é aquela descrita acima, uma mulher que eu e você queríamos para mãe, para filha e para esposa. Uma pessoa cheia de virtudes. É o Bem. Entre os que vivem neste planeta só uma mulher assumiu esta identificação, Maria de Nazaré. A jovem que foi escolhida para gerar Deus como homem. Mistério.

 

A outra, rezamos para não termos como mãe, como filha ou como esposa (Apocalipse 17:1-5): “Vem, mostrar-te-ei a grande prostituta que está assentada sobre muitas águas; com a qual fornicaram os reis; e os que habitam na terra se embebedaram com o vinho da sua fornicação. E vi uma mulher vestida de púrpura e de escarlata, e adornada com ouro, e pedras preciosas e pérolas; e tinha na sua mão um cálice de ouro cheio das abominações e da imundícia da sua fornicação; e na sua testa estava escrito o nome: Mistério, a grande babilônia, a mãe das prostituições e abominações da terra”. Ela representa o Mal.

Todos os que são julgados, os que vivem e viveram na Terra, foram filhos da santa ou da puta. Os filhos de Maria são “os que guardam os mandamentos de Deus, e têm o testemunho de Jesus Cristo” (Apocalipse 12:17). Não é pouca coisa. Em outro livro, A Brincadeira, diz: “Ser cristão significa imitar cristo. Significa desligar-se dos interesses particulares, do bem-estar e do poder pessoal, e voltar-se para os pobres e para os que sofrem”. O tribunal descomunal descrito em Apocalipse é para julgar quem é assim e quem não é.

A semente de Babilônia, são (Apocalipse 17:15) "povos, e multidões, e nações, e línguas. esses cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo. Suas bocas só têm blasfêmias contra Deus, para blasfemar do seu nome, e do seu tabernáculo, e dos que habitam no céu (Apocalipse 13:6, 8)".

Você precisa conhecer as testemunhas que se apresentam a nosso favor e as da parte contrária. Mas fica para outra vez.



publicado por joseadal às 11:21
mais sobre mim
Março 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
13
14
15

16
17
20
22

23
24
25
27
29

31


pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

blogs SAPO