Quarta-feira, 16 de Fevereiro de 2011

Agora vou te contar como começa o amor. Vou te desvendar o momento mágico, aquela primeira vista. Li neste instante. Achei-o ao pé de uma página e acabei de ler. Quem escreveu foi o louco do Henry Miller: "Por que me olhava tão fixamente quando eu lhe contava a história? Havia um brilho em seu rosto que nunca poderei esquecer. Hoje, penso saber o que era. Acho que a fiz parar: parar aquele incessante urdir e tecer".

Ele estava com ela num restaurante, conversavam, trocavam as primeiras impressões e ela falava e falava, mexendo com uma das mãos, o que o fazia lembrar uma bordadeira ou das tecedeiras do destino. Então ele a cortou e começou a contar uma coisa completamente diferente.

Só sendo uma virgem, e atualmente ela precisa ser bem jovem, para não chegar no primeiro encontro com uma estória treinada por ter sido repetida muitas vezes. Esta máscara, sob a qual nos protegemos ou nos escondemos, é um empecilho para o amor entre duas pessoas. Porém, o (a) insidioso espera todo tempo por quem interrompa sua interpretação sem sentido. Foi isto que ela sentiu quando ele cortou sua ladainha mistificadora. "Havia gratidão em seus olhos, bem como amor e admiração. Eu fizera a máquina parar".

Ah, como é bom sermos nós mesmos, sem disfarce! É tirar um peso de cima, é sentir a leveza de ser. Quando descobrimos que quem fala olhando em nossos olhos está interessada na pessoa que somos, no patinho feio que nos imaginamos e que pretendemos esconder sob falsas penas brancas, só nos resta amá-la.

Entretanto não se esqueça que "as mentiras estão embutidas na verdade e não têm nenhuma existência separada dela". É assim, o ser maravilhoso que conhecemos não é bem quem supomos ter conhecido.


tags:

publicado por joseadal às 23:39

No século 12, alta Idade Média, a sociedade passa por uma mudança tanto no plano terreno quanto no celestial, surgem: a classe média e o purgatório. J. le Goff ensina: "O conceito de intermediário surge de mutações profundas das realidades sociais e mentais da Idade Média. Não se confrontam mais poderosos e pobres, surge uma categoria mediana, uma terceira ordem. Passar do sistema binário para o terciário levou a novo estilo na organização da sociedade".

Domenico Massi acrescenta: "No mesmo período o homem é constrangido a rever sua relação com Deus, uma parte do destino supraterreno é subtraída à justiça divina e conquistada pela ação humana. Essa nova possibilidade de influir no destino dos mortos determina um incremento de potência para os vivos. Nascem novas formas de solidariedade institucionalizada, tanto por orações como por contribuições para a Igreja".

A crença no Purgatório aumenta a geografia do mundo espiritual ao mesmo tempo em que os europeus vêem seu mundo se expandir com negócios do outro lado do planeta, na Ásia. Bem que Jesus já avisara: "o que ligares na Terra será ligado no Céu. Isto foi bom o mal?

Uma das conseqüências foi edificação de grandiosas catedrais góticas como Notre Dame, em Paris. Com o povo humilde, a classe média e os ricos sendo ensinados e coagidos pela igreja a ir preparando sua passagem rápida pelo purgatório por meio de donativos formaram-se fortunas que resultaram na construção dessas grandiosas casas de Deus. O mestre Jesus preferiria pregar no alto de uma colina ou na beira do mar. São opções.



publicado por joseadal às 00:22
mais sobre mim
Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

13
14
19

20
22

28


pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO