Quinta-feira, 06 de Outubro de 2011

No livro A Insustentável Leveza do Ser a heroína é uma jovem - com quê, 18 ou 20 anos? - chamada Tereza. Ela é bonita, mas por algumas coisas que passou tornou-se diferente das outras moças: "Achava idiotas os adolescentes que passavam por ela com rádios barulhentos nos ouvidos. Não percebia que eram modernos. Em um mundo de despudor, onde a juventude e a beleza têm o sentido distorcido e onde as pessoas vivem como que num gigantesco campo de concentração onde tentam parecer idênticos e tornar suas almas invisíveis, ela tinha o vício de longas e repetidas permanências diante do espelho. Seu desejo era não ser um corpo como os outros e ver sob a superfície de seu rosto a tripulação da sua alma surgir. Não era fácil porque sua alma medrosa escondia-se no fundo de suas entranhas, com vergonha de aparecer".

Apaixonei-me por esta mulher imaginando-a como era Lili nesta idade, que só conheci por fotografias. 

Tereza esta assim até que encontra Tomas, "alguém que não conhecia e diferente dos homens tolos que lhe dirigia pilhérias obscenas; e ainda uma coisa: tinha um livro aberto nas mãos".

Cara, que Tomas que nada, era José!



publicado por joseadal às 23:59

Ainda Platão e a "alegoria da caverna", agora falando dos que saem da escuridão para a luz, o mestre ensina perguntando. 

"- Contudo, se na caverna, certas homenagens e louvores tivessem sido estipulados para quem visse com mais precisão acreditas que este que saiu da caverna desejaria competir com os que têm prestígio e poder lá? Ou ele preferiria, como diz Homero, 'viver sobre a terra (acima da caverna) mesmo que para servir, por um salário' e suportar qualquer coisa a perder-se no meio daquelas opiniões (legítimas na caverna), e voltar a ser homem daquela maneira? [o discípulo responde]

- Penso que ele suportaria tudo para não ser homem daquele modo (o modo da caverna).

- Portanto, reflete sobre isso: se aquele que saiu da caverna, descesse e sentasse no mesmo lugar tendo subitamente, deixado o sol. E agora, novamente, com os que lá sempre estiveram acorrentados, tivesse que tomar posições e fazer afirmações e dar opiniões sobre as sombras, não estaria ele então, lá embaixo, exposto ao ridículo, e não lhe dariam a entender que ele só subiu para voltar (à caverna) com os olhos arruinados e, também, que, portanto, de nenhum modo valia a pena esforçar-se para subir? E eles realmente não matariam aquele que se aproximasse com a intenção de soltá-los das correntes e levá-los para cima?”

Isto foi dito 600 anos antes de Jesus começar a ensinar. E certa vez o nazareno ensinou: 'Uma pessoa iluminada, que viu a luz, geralmente não é bem recebida por aqueles que ainda estão nas sombras'. [foto do meu jardim]

Quantos santos e filósofos, artistas e cientistas foram perseguidos e mortos por falarem de assuntos incompreensíveis para os populares.

Outra coisa, esta bem misteriosa: e aquele que vem a este mundo já nascendo como gênio, como se viessem de um ambiente iluminado para o nosso ainda na barbárie?

Mas coisa triste é o que já viu a luz se conformar novamente as sombras, ao contrário da luz e da razão, só porque não aceita simplesmente "viver sobre a Terra" longe de amigos e familiares que repudiam seu saber.      



publicado por joseadal às 00:18
mais sobre mim
Outubro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11

16
18
20
21

23
24
25

30


pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO