Segunda-feira, 07 de Outubro de 2013

Muitos cantos católicos, honrando o Espírito Santo, dizem: “Renovas a face da Terra”.

Foi um professor alemão de Meteorologia, Alfred Wegener (1880-1930),

que fazendo pesquisas geológicas chegou à conclusão de que a crosta do nosso planeta não era contínua. Lançou a teoria da Deriva Continental, em 1915, explicando que as placas de terra firme deslizavam sobre o manto, o material liquefeito sob altas temperatura e pressão.

Mas foi o geólogo Arthur Holmes (1890-1965)

que entendeu o que movia as placas tectônicas: a propriedade de fluidez do manto. São dois os movimentos: a convecção faz com que o material mais quente empurre o mais frio e a subducção atrai o mais denso para baixo. Estes movimentos naturais renovam a face do nosso planeta a cada 1 bilhão de anos, a Terra tem 4,5 bilhões de anos.

Um estudo filosófico chamado Antroposofia diz que nosso planeta já foi habitado por outras raças inteligentes e que seus traços desapareceram nesta reciclagem da crosta terrestre. Que ser formidável é o pequeno homem que chegado ao planeta nos últimos 100 mil anos pode reconstituir tudo o que aconteceu muito antes dele dar as caras por aqui.



publicado por joseadal às 23:01
Sexta-feira, 04 de Outubro de 2013

Quanto mais vivemos menos nos acostumamos as mudanças do mundo. Mas tudo está sempre evoluindo. Estou lendo um livro antigo, de 1950, O Cardeal, do norte-americano Henry Morton Robinson. Fala de uma família de irlandeses muito católicos, em Boston, com um filho padre e uma filha freira.

Em certo trecho, conta: “Queridos pais e irmãos, sei que todos me acompanharão na minha alegria, estou me preparando para meus primeiros votos daqui a breves dias”. É o começo de uma carta da filha lida pelo irmão padre que visita a família. A mãe diz:

“- Tomara que a saúde dela não se ressinta. Ter que andar descalça no chão frio e passar por longos jejuns...

-Mamãe, a pessoa mística é o ser mais resistente que pode existir. Santa Teresa [1515-1582] que reformou a Ordem das Carmelitas, escrevia muito, administrava vários conventos e construía outros num estado de tamanha fraqueza que tinha de ser carregada sobre um lençol.

- Deve ter sido uma mulher muito piedosa. Meu filho por que hoje em dia não temos santos assim?”

Esse é o fator tempo que muda o mundo e as pessoas nele. O jovem padre, diz:

“Parece que a santidade caiu agudamente por volta de 1400. Uma razão, tem Petrarca [1304-1374] como exemplo.

Ele escreveu poemas louvando uma mulher, um amor terreno ao invés de decantar as atitudes espirituais dos homens e mulheres, como era mais comum. Começou, então, a prevalecer uma nova ordem de valores”.

Mas veja bem, as mudanças para um pensamento mais voltado para esta vida começaram antes de surgir uma mulher devotada como Santa Teresa D’Ávila. E quantos homens e mulheres, desde então, passaram pela Terra vivendo uma vida exemplar de doação! Então, o tempo muda, mas há coisas que não mudam nunca.



publicado por joseadal às 12:25
Quarta-feira, 02 de Outubro de 2013

Há nos mitos revelações intrigantes sobre a vida dos humanos. Assim é na Mitologia e nas Escrituras, a Bíblia, que revelam o homem como um ser em constante luta com as intempéries da Terra e com as explosivas emoções dentro de si mesmo. A história de Eros e Psiqué é uma tremenda lição sobre o começo da vida marital.

Eros era o típico jovem malcriado. O livro Mitologia Grega o descreve assim (p.215): “devasso e sedutor intolerável”. Mas ele encontra a bela jovem Psiqué, fica apaixonado e vão morar juntos. Mas o rapaz é esquivo e não para em casa: “antes do nascer do sol, desaparece rápida e misteriosamente”. Psiqué aguenta a situação, mas suas irmãs a visitam e enchem sua cabeça de minhocas: você nem conhece esse rapaz direito; pode ser um criminoso! À noite, sabendo da visita, Eros diz: “As bruxas traiçoeiras esforçam-se para te armar uma cilada e persuadi-la a contemplar meu rosto. Já te adverti que nunca mais o verás”. No mito isso corresponde a ele declarar: não tente me entender.

Mas que jovem consegue ficar numa situação dessas? Continua o relato: “Muito de leve ela aproximou a luz do rosto do marido e lhe revelou o segredo: era a mais bela de todas as feras! Eros desperta num sobressalto e, ao ver desvendado o seu segredo, foge rapidamente”. Só, Psiqué procura o marido e vai a casa da sogra, Afrodite. “Quando esta viu Psiqué um sorriso feroz iluminou-lhe as feições e após humilhá-la e insultá-la deu-lhe quatro tarefas impossíveis prometendo, só então, interferir para reatar a convivência dos dois”. Em outras palavras: ela não moveria uma palha para que o filho voltasse para a moça.

Mas, Deus seja louvado, havia amor no coração do rapaz e ele apela para Zeus, para que abençoe aquela união. O poderoso, diante dos habitantes do céu, diz: “Julgo ser conveniente refrear de uma vez por todas com as desregradas paixões da juventude desse moço. Chegou o momento de tirar-lhe qualquer oportunidade de praticar a luxúria. Cumpre aprisionar-lhe o temperamento lascivo nos laços do matrimônio. Então, que ele a possua e que ela o conserve para sempre”.

Você já tinha visto muitos casamentos e ouviu as palavras de admoestação de padres e pastores, mas só agora leu como é atado no céu o laço entre duas pessoas.  



publicado por joseadal às 00:59
mais sobre mim
Outubro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11

13
14
17
19

20
21
22
24
26

28
30
31


pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO