Sexta-feira, 04 de Fevereiro de 2011

Escute esta: "Como detestamos admitir que nada mais desejaríamos exceto ser o escravo". (Sexus, de Henry Miller)

Apesar de Freud ter ensinado que a mais forte pulsão que sentimos neste corpo material é a sexual e mesmo tendo feito sexo milhares de vezes durante uma vida longa, continuamos tão ignorantes dele quanto um jovem adolescente. Como é que podemos ter sobrevivido e conquistado e mantido tanta coisa a nossa volta tendo tão pouco conhecimento desta ciência essencial?

Leie mais um pouco: "O homem que precisa conquistar a mulher, dobrá-la a sua vontade e conformá-la de acordo com seus desejos, não é ele mesmo um escravo? Pois a mera dependência por parte da mulher é bastante para desanimar o galante déspota. Mas se são capazes de se atracar, nada escondendo, admitindo um ao outro sua interdependência, não passarão a gozar então de uma inimaginável liberdade? O homem que admite, não só a si mesmo mas a mulher que ama, que é indefeso ao sexo dela, descobre-se mais forte. Pois nada conquista uma mulher mais rapidamente do que a entrega completa. Poder dar-se inteiro é a maior luxúria que a vida permite".

Não sei você, mas tenho de admitir que tive muita sorte nesta vida enfrentando tão despreparado esta força que afinal envolve tudo o que fazemos. Que vale que sempre podemos aprender.


tags:

publicado por joseadal às 00:03
mais sobre mim
Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

13
14
19

20
22

28


pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

blogs SAPO