Sexta-feira, 13 de Março de 2015

“Um homem, para seu assombro, torna-se consciente de sua existência. Neste instante se dá conta de que viverá por um breve período de tempo e de que retornará a um estado de não existência. Mesmo tendo uma mente rude, diz ao seu coração: isso não pode ser verdade”.

Ainda assim este é um homem feliz pois pode mudar o curso de sua vida. O pobre de espírito continua numa roda-viva sem nunca mudar.

A consideração do início é um pensamento de Arthur Schopenhauer no ensaio, O Vazio da Existência. E acrescenta:

“De cada evento em nossa vida podemos dizer que é apenas por um momento, após isso e para sempre aquele acontecimento foi. Cada noite nos empobrece”.

S do Matoso (17).JPG

 Felizmente não ficamos pensando nisto o tempo todo, e a razão deve ser esta:

“Provavelmente ficaríamos irritados vendo o curto tempo de nossa vida se esvaecendo, se não fôssemos secretamente conscientes, nas profundezas de nosso ser, de que compartilhamos do inexaurível manancial da eternidade”.   



publicado por joseadal às 23:20
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Março 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO