Quinta-feira, 09 de Junho de 2011

Em duas páginas de jornal, Ferreira Gullar em uma José Castello em outra, falam, sem combinar, em imagens e palavras. Enquanto os lia o tempo todo pensava nos meus irmãos nesta Terra que não gostam de ler ou acham que um filme ou a TV substituem uma boa leitura.

Gullar falando da comunicação visual diz: "O vínculo entre a imagem e a realidade nasceu com o homem das cavernas e se mantêm até hoje. Isto não significa que lêr seja um exercício descabido e inútil, pelo contrário, a linguagem das palavras cria significações que somam com a expressão das imagens".   

Já Castello lembra as imagens de Artur Bispo do Rosário, o artista esquizofrênico - uma interpretação nossa para a complexa personalidade dele - e e sua explicação para pintar: "Minha missão é enquadrar objetos para salva-los do dilúvio".

E o crítico deduz: “Ler um livro é tomar posse da língua, pois a literatura, sem ser algema, ainda assim prende e sustenta em um delicado fio de palavras, aquilo que de outra forma se perderia. Mais ainda: aquilo que, sem o contorno de um nome, não chegaria a existir”.

Ora, a vida é uma escola, nela aprendemos muito, mas quando lemos um bom livro tomamos consciência daquilo que outra pessoa, com mais luz do que nós, viu e com gentileza nos passa. Ou como diz José Castello, um leitor de muitos livros: “Sempre achei que a literatura é uma carícia”. Aproveite os dias dos namorados e faça uma “carícia” em quem você ama e especialmente em você mesmo. Leia um livro estes dias.


tags:

publicado por joseadal às 00:05
mais sobre mim
Março 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO