Quinta-feira, 24 de Fevereiro de 2011

Marta Medeiros, da revista O Globo, termina uma crônica escrevendo: "tamo ferrada", só porque constatou que as mulheres que fazem de sua profissão seu principal interesse na vida ficam sozinhas. "De apêndices de nossos pais e maridos passamos a ter uma vida própria e acreditei que a competitividade tivesse dado lugar a um companheirismo mais saudável". Peraí, que companheirismo se os dois vivem correndo cada um para um lado atrás do seu amado trabalho? Em Criatividade, o livro grosso que estou lendo, insiste que o problema todo - do aqueciomento global às neuroses, dos casamentos desfeitos aos joverns violentos - é que gastamos demais e trabalhamos ídem e esquecemos (aí já é coisa que

li em outro livro, Mateus, Jesus falando) que "meu reino [meu domínio mais íntimo] não é deste mundo". Por que é difícil botar isto no coração, cara? É, ela tá certa, 'tamos ferrados'.

 



publicado por joseadal às 22:46
mais sobre mim
Março 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


posts recentes
pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

blogs SAPO